ANÁLISE FINANCEIRA

Análise Financeira

A análise financeira é uma das mais importantes funções da Gestão Financeira, de empresas, sejam elas micro, pequenas, médias ou grandes empresas, e de pessoas físicas também, os indivíduos.

Para que serve?

Serve para demonstrar, explicar e esclarecer a situação econômico-financeira de determinada empresa, unidade de negócio, localidade ou qualquer outra variável requerida pelo usuário da informação. Normalmente serve para informar um resultado de determinado período e a performance desta empresa ou negócio, por exemplo, se a empresa no ano de 2019 apresentou lucro, qual foi sua margem operacional, capacidade de geração de caixa, endividamento, percentual do lucro bruto, e a comparação desses resultados com exercícios anteriores, ou seja, compondo a variação histórica dos resultados.

Revela os resultados obtidos na operação em determinado período e os compara com os resultados previstos em sua peça orçamentária, sendo, portanto, um importante indicativo de quão eficiente a empresa foi em atingir seus objetivos ou suas previsões de venda, lucro e resultado.

Como fazer?

A análise financeira está baseada nos demonstrativos financeiros produzidos pela empresa, sejam, seu balanço patrimonial, demonstrativo de resultados do exercício, fluxo de caixa, e podem ser construídos para a visão da empresa, de um projeto específico.

A análise representa a etapa final de interpretação dos dados e informações disponíveis nos sistemas e registros contábeis da empresa, e são construídos mediante a extração coordenada dessas informações, através dos relatórios e demonstrativos, que estão alinhados com os princípios e critérios contábeis, determinados para cada um dos documentos.

É importante?

A análise financeira é extremamente importante e essencial para diversos usuários internos e externos à empresa, sejam os gestores, acionistas, instituições financeiras, clientes e fornecedores. Ela revela o resultado de determinado período, mas permite compará-lo com outros períodos e assim, analisar o comportamento da sua performance ao longo do tempo, e a tendência para períodos futuros, baseados no seu histórico e expectativas de mercado.

Componentes e objetivos da Análise Financeira:

Balanço Patrimonial – O balanço é fonte das mais importantes informações para se analisar financeiramente determinada empresa. Através dos números reportados, como exemplos: Ativo Total, Ativo Circulante, Imobilizado, Investimentos, Passivo Total, Passivo Circulante, Exigível a Longo Prazo, Patrimônio Líquido, entre outros tantos, calcula-se os indicadores financeiros que irão indicar a situação patrimonial, níveis de endividamento, liquidez, patrimônio líquido, essenciais à avaliação da saúde financeira da entidade. O balanço reflete a posição da empresa em determinada data, como se fosse uma fotografia tirada naquele momento, exemplo 31/12/2020.

Resultado Operacional ou Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE) – É o demonstrativo que detalha os componentes do resultado operacional, partindo das suas receitas brutas (faturamento), impostos sobre as vendas, custo das mercadorias vendidas ou serviços prestados, despesas comerciais e de vendas, despesas gerais e administrativas, despesas ou receitas financeiras, despesas operacionais e logísticas, resultado bruto, imposto de renda sobre o lucro, resultado líquido. Trata-se de outro importante demonstrativo que vai ilustrar o quão eficiente é a empresa em entregar resultados sobre a sua operação e o quão adequado são, os níveis de gastos e despesas frente às receitas e o nível de lucratividade, como se posiciona perante os objetivos dos acionistas comparado à média de lucro do mercado.

Ciclo Financeiro – É um indicador medido em dias e que demonstra o prazo necessário para que a operação seja financiada com capital próprio ou de terceiros; uma espécie de capital de giro. Basicamente considera o prazo médio de recebimentos, somado ao prazo médio de estoques e deduzido o prazo médio de pagamentos. O resultado indica o ciclo financeiro.

Fluxo de Caixa – Demonstra a capacidade na geração de caixa da empresa frente ás suas transações, onde as entradas de caixa representam os valores recebidos dos clientes pelas suas vendas ou serviços prestados e as saídas, os compromissos de pagamento aos fornecedores, impostos. Essas transações compõe o fluxo operacional. Já quando há ingressos de recursos de empréstimos tomados pela empresa e o pagamento dessa dívida, temos o fluxo financeiro e quando há ingresso de capital por acionistas, temos o fluxo de investimentos. A análise detalhada do fluxo de caixa é vital para uma boa análise financeira, já que o caixa leva em consideração a performance operacional ao longo do tempo, ou seja, quão eficiente é a empresa em realizar vendas e gerar caixa.

Análise de Custos – É necessária para que a lucratividade seja atingida, ou seja, é através do custo que é possível avaliar a margem efetiva sobre as operações de venda e fator de vital importância na precificação.

As Operações Financeiras, transacionais, relativas aos recebimentos (contas a receber), aos pagamentos (contas a pagar) e aos estoques, também são analisadas isoladamente para se avaliar o quão eficiente são para produzir o mais adequado fluxo financeiro e sua adequação frente à concorrência (mercado).  A análise financeira neste quesito, avalia as estratégias e políticas no estabelecimento de condições de pagamento (crédito e cobrança) e negociações estratégicas com fornecedores, para que estes financiem suas vendas pelo maior prazo possível, impactando diretamente o ciclo financeiro (>PMP).